Coleta Seletiva: ainda uma desconhecida

August 30, 2018

      Lave os recicláveis sim. Valoriza o material, preserva a salubridade das cooperativas e precisa de pouca água.

 

      A expressão ‘lixo reciclável’ tem sido evitada devido ao erro por definição: lixo não é reciclável e os materiais recicláveis são bem diferentes do lixo. Uma matéria prima valiosa coletada, valorizada e reciclada por profissionais de uma importante cadeia econômica não pode nem deve ser confundida com lixo, algo sujo, fedorento e sem valor. Até porque prejudica a luta contra o preconceito que parte da sociedade tem em relação aos profissionais da coleta seletiva, outrora chamados catadores, uma definição que fica muito aquém do valor de seu trabalho.

 

      A lavagem de recicláveis é ensinada por ambientalistas e professores há décadas determina uma lavagem que usa pouca água, mas importante pois valoriza o material evitando a contaminação cruzada (líquidos e óleos sujando papéis por exemplo) e, mais importante, garante a salubridade dos muitos locais em que esse material será armazenado antes da reciclagem.

 

      Armazenar material sujo compromete a higiene do seu próprio ambiente e das áreas de armazenamento futuro – pequenas cooperativas, sucateiros, áreas de transbordo ou mesmo grandes intermediários, todos localizados em áreas residenciais.

 

      Não é de hoje que a mídia veicula informações equivocadas sobre a ainda desconhecida coleta seletiva, como no caso da matéria que saiu em 2014 no portal G1-Natureza. A citada matéria foi claramente motivada pela escassez de água em alguns reservatórios de São Paulo. Mas o nobre objetivo de orientar a população a poupar água não deveria prejudicar outra ação ambiental importante como a coleta seletiva. Há inúmeras formas muito mais significativas de se reduzir o desperdício de água, mas sem condenar a lavagem de recicláveis, um uso legítimo na valorização desse material, e que ainda compromete a segurança sanitária dos locais que trabalham com coleta seletiva.

 

 

Encarte sobre a coleta seletiva

 

      Atenção aos procedimentos a serem seguidos para realização da coleta seletiva:

 

  • Todo material reciclável deve ser embalado em sacos plásticos transparentes ou translúcidos (azul e verde) para que o Gari possa visualizar o seu conteúdo bem como detectar a possível presença de materiais orgânicos, contundentes ou perfurantes no seu interior. Não será permitido o uso de sacos pretos.

  • Para garantir a qualidade dos recicláveis basta uma rápida lavagem. Com esse pequeno gesto você garante que o reciclável limpo aumente a produção das atividades dos catadores

  • O resíduo orgânico, além de representar risco à saúde dos catadores, contamina todo o material potencialmente reciclável inviabilizando o seu aproveitamento e, consequentemente, a sua reutilização.

 

      NÃO PRECISAM passar por enxágue – Resíduos de limpeza doméstica: embalagens de sabão de todos os tipos; embalagens de produtos de limpeza: desinfetantes, essências, multiuso, cloros e seus derivados, embalagens de buchas, escovas e afins etc.

 

      Resíduos de higiene pessoal: embalagens de sabonetes, xampus, papel higiênico, embalagens e escovas de dente e cabelo, perfumes etc.

 

      Resíduos de embalagens de grãos alimentícios secos: arroz, feijão, pipoca, lentilha, ervilha etc.

 

      Para ENXAGUAR Sobram as embalagens de produtos que deixam resíduos em seus vasilhames: potes de iogurte, caixas ou garrafas de leite; caixas longa vida ou latas de doces, creme de leite, geleias, conservas; sacos que envolvem produtos alimentícios molhados etc.

 

      Abaixo, um vídeo divertido informando os cidadãos sobre a coleta.

 

 

       Uma outra opção que a COMLURB disponibiliza é o Posto de Entrega Voluntária (PEV). Nestes locais a população pode entregar seus recicláveis. Os postos funcionam 24 horas e dispõem de contêineres especiais para coleta de materiais recicláveis como papel, vidro, plástico e metais.  Em cada unidade, há um gari responsável por sua manutenção, além de orientar os moradores sobre a separação correta desse material.

 

Fonte: Recicloteca