O Refúgio Tríplice

May 17, 2018

       Entoa-se duas vezes cada verso deste mantra, chamado como O Refúgio Tríplice. Mantra de proteção e paz interior. Para fortalecer a responsabilidade individual. Trabalhado no budismo para a compreensão espiritual, antes de tomar os cinco preceitos.

 

 

Buddham Saranam Gacchami 
Sangham Saranam Gacchami
Yena Dhammam Pravartitam

Dhammam Saranam Gacchami

 

      "O objeto fé não deveria ser uma ideia, uma noção. Deveríamos tentar o máximo possível para persistir na prática. A fé deve ser desenvolvida baseada na nossa percepção, na nossa experiência direta.


      Buscar refúgio não é propriamente um problema de crença. É um problema de prática. Não significa ter que declarar a fé no Buda. Vocês precisam realmente buscar refúgio no Buda. Mas o que significa buscar refúgio no Buda?

 

      O Buda está entre nós, porque a substância da qual o Buda é feito é a energia da conscientização, da compreensão e da compaixão. Se Shakyamuni, o Buda histórico, possui a natureza do Buda, você também têm a sua própria natureza de Buda. É onde teremos que chegar. Você têm a capacidade de despertar, de ter compreensão e compaixão.


      Este mantra é entoado por chineses, japoneses, vietnamitas e coreanos. Não estou falando de outra pessoa, porque têm a natureza do Buda dentro de você e se refugiará nesta natureza interior.

 

      Refugiar-se no Buda significa tocar a natureza do Buda em você, tocar a semente da iluminação em você, ter uma experiência direta da natureza desta iluminação, para que obtenha e abra o pensamento para a iluminação, para a profunda impressão da iluminação. Bodhicita é o desejo mais profundo em cada um de nós, o desejo de nos tornarmos despertos, conscientes, de nos libertarmos do sofrimento e ajudar os seres vivos.


      Buscar refúgio no Buda desta maneira será a prática de gerar a energia do amor. Ver o sofrimento em você mesmo e ao seu redor, e estar determinado a dar um fim neste sofrimento, entrando em contato com a natureza da compreensão, da compaixão e da iluminação em você. Assim, tornando-se propenso à iluminação, e isso desperta o interesse em trazer alívio e transformação a todos os seres vivos."

 

Fonte: Sangha Virtual - Estudos Budistas - Tradição do Ven. Thich Nhat Hanh

 

 

       Refugiar-se no Buda significa entrar em contato com uma parte de si que é sua parte divina. Um corpo atemporal, ou seja, não depende do tempo, tudo nele está gravado, de nossas menores até as maiores experiências vividas durante toda a existência de nosso espírito, chamado Corpo Búdico ou Buddih. Faz parte do nosso inconsciente, uma parte de nós muito importante mas incompreendido socialmente, e é a primeira estrutura vibratória que desperta o espírito de modo ativo.

 

      Quando você realmente quer se refugiar no Dharma, precisa aprender e dominar todos os ensinamentos e práticas oferecidas a você pelo seu Mestre. Assumir junto a ele o compromisso no caminho da transformação. Significa que a prática deve ser contínua, todos os dias da nossa vida, e que o trabalho de transformação deve ser feito todos os dias. Então não é apenas um problema de crença, de proteção, mas de prática. O Dharma é para ser praticado. Uma simples declaração não ajuda muito. É fundamental que vivam conforme a afirmação que fizeram.

 

      Quando refugiamo-nos no Sangha, estamos nos refugiando no Perfeito Amor e na Perfeita Confiança, com nossos irmãos e nossos Mestres. Sangha é o templo, o monastério e o coven. Refugiar-se no Sangha interior é desejar ser capaz de orientar, admitir, educar e transformar todos os seres vivos. Quando você recita o Terceiro Refúgio, sabe que têm coisas a fazer. Seu trabalho é ajudar a construir a Sangha, porque a Sangha é o único instrumento através do qual podem compreender o ideal do Buda e o Dharma. É necessário que usem seus talentos para reunir, envolver e torná-lo um corpo sólido. Há uma egrégora à qual você pertence, há um trabalho começado para continuar.

 

Tags:

Share on Facebook
Share on Twitter